Espaço democrático

Homenagem do Bloco Rosas da Boa Vista

Homenagem do Bloco Rosas da Boa Vista
Ao grande Gregório Bezerra
Ocorreu um erro neste gadget
Loading...
Ocorreu um erro neste gadget

segunda-feira, 28 de novembro de 2011

Beth Carvalho lança CD


Beth Carvalho: "A CIA quer acabar com o samba"
Cantora lança CD e, em entrevista ao iG, acusa a Agência Central de Inteligência dos EUA.

Ao abrir o elevador, ainda no hall de entrada do apartamento, um quadro com a foto de Che Guevara. Não há dúvidas. Ali é o andar de Beth Carvalho. Ela surge na sala, amparada por duas muletas, que logo deixa de lado para posar para as fotos. “Nunca vi coisa para cair mais do que muletas. Estas meninas caem toda hora”, diz, bem-humorada.

Ainda se recuperando de uma fissura no sacro (osso do final da coluna), aos 65 anos, Beth anda com dificuldades. Ficou dois anos sem pôr os pés no chão. “Estou ótima, salva! Os médicos comentaram com minha filha que eu poderia não andar mais. Mas não me abati. Foi um processo menos doloroso por perceber a prova de amor dos amigos e da família”, relata.

Após quinze anos, a sambista lança o CD de inéditas “Nosso samba tá na rua”, dedicado a dona Ivone Lara, com canções sobre a negritude, o amor e o feminismo. Uma das letras, “Arrasta a sandália”, é de autoria de sua filha, Luana Carvalho. Cercada de quadros de Cartola e Nelson Cavaquinho, entre almofadas verdes e rosas (cores de sua escola de samba Mangueira), perante uma estante com dezenas de troféus e outra com bonecos de Che, Fidel Castro e orixás, Beth concede a entrevista a seguir ao iG.

No fundo da janela, o mar de São Conrado, bairro vizinho à favela da Rocinha. “A CIA quer acabar com o samba. É uma luta contra a cultura brasileira. Os Estados Unidos querem dominar o mundo através da cultura”, diz a cantora, presidente de honra do PDT. Entre os fartos risos, também não faltaram palavras ríspidas para defender seu ponto de vista.

G: Qual foi a sensação ao voltar a andar?
BETH CARVALHO: A pior da minha vida. Quando pus os pés pela primeira vez no chão, achei que nunca ia andar de novo. Parecia que não tinha mais pernas, sem força muscular. Depois, com a fisioterapia, a recuperação foi rápida. Precisei colocar dois parafusos de 15 cm cada um, só isso me fez voltar a andar. Agora sou interplanetária e biônica (risos).

iG: Em seu novo CD, a letra “Chega” é visivelmente feminista. Por que é raro o samba dar voz a mulheres?
BETH CARVALHO: O mundo, não só o samba, é machista. Melhorou bastante devido à luta das mulheres, mas a cada cinco minutos uma mulher apanha no Brasil. É um absurdo. Parece que está tudo bem, mas não é bem assim. Sempre fui ligada a movimentos libertários.

iG: De que forma o samba é machista?
BETH CARVALHO: A maioria dos sambistas é homem. Depois de mim, Clara Nunes e Alcione, as coisas melhoraram. O samba é machista, mas o papel da mulher é forte. O samba é matriarcal, na medida que dona Vicentina, dona Neuma, dona Zica comandam os bastidores da história. Eu, por exemplo, sou madrinha de muitos homens (risos).

iG: A senhora é vizinha da favela da Rocinha. Como vê o processo de pacificação?
BETH CARVALHO: Faltou, por muitos anos, a força do estado nestas comunidades. Agora estão fazendo isso de maneira brutal e, de certa forma, necessária. Mas se não tiver o lado social junto, dando a posse de terreno para quem mora lá há tanto tempo, as pessoas vão continuar inseguras. E os morros virarão uma especulação imobiliária.

iG: Alguns culpam o governo Leonel Brizola (1983-1987/1991-1994) pelo fortalecimento do tráfico nos morros. A senhora, que era amiga do ex-governador, concorda?
BETH CARVALHO: Isso é muito injusto. É absurdo (diz em tom áspero). Se tivessem respeitado os Cieps, a atual geração não seria de viciados em crack, mas de pessoas bem informadas. Brizola discutia por que não metem o pé na porta nos condomínios da Avenida Viera Souto (em Ipanema) como metem nos barracos. Ele não podia fazer milagre.

iG: Defende a permanência de Carlos Lupi no Ministério do Trabalho?
BETH CARVALHO: Olha, sou presidente de honra do PDT porque é um título carinhoso que Brizola me deu, mas não sou filiada ao PDT. Não tenho uma opinião formada sobre isso, porque não sei detalhes. Existe uma grande rigidez a partidos de esquerda. Fizeram isso com o PC do B do Orlando Silva, e agora fazem com o PDT. O que conheço do Lupi é uma pessoa muito correta. Eles deveriam ser menos perseguidos pela mídia.

iG: Aqui na sua casa há várias imagens de Che Guevara e de Fidel Castro. Acredita no modelo socialista?
BETH CARVALHO: Eu só acredito no modelo socialista, é o único que pode salvar a humanidade. Não tem outro (fala de forma enfática). Cuba diz ‘me deixem em paz’. Os Estados Unidos, com o bloqueio econômico, fazem sacanagem com um país pobre que só tem cana de açúcar e tabaco.

iG: Mas e a falta de liberdade de expressão em Cuba?
BETH CARVALHO: Eu não me sinto com liberdade de expressão no Brasil.

iG: Por quê?
BETH CARVALHO: Porque existe uma ditadura civil no Brasil. Você não pode falar mal de muita coisa.

iG: Como quais?
BETH CARVALHO: Não falo. Tem uma mídia aí que acaba com você. Existe uma censura. Não tem quase nenhum programa de TV ao vivo que nos permita ir lá falar o que pensamos. São todos gravados. Você não sabe que vai sair o que você falou, tudo tem edição. A censura está no ar.

iG: Mas em países como Cuba a censura é institucionalizada, não?
BETH CARVALHO: Não existe isso que você está falando, para começo de conversa. Cuba não precisa ter mais que um partido. É um partido contra todo o imperialismo dos Estados Unidos. Aqui a gente está acostumada a ter vários partidos e acha que isso é democracia.

iG: Este não seria um pensamento ultrapassado?
BETH CARVALHO: Meu Deus do céu! Estados Unidos têm ódio mortal da derrota para oito homens, incluindo Fidel e Che, que expulsaram os americanos usando apenas o idealismo cubano. Os americanos dormem e acordam pensando o dia inteiro em como acabar com Cuba. É muito difícil ter outro Fidel, outro Brizola, outro Lula. A cada cem anos você tem um Pixinguinha, um Cartola, um Vinicius de Moraes... A mesma coisa na liderança política. Não é questão de ditadura, é dificuldade de encontrar outro melhor para ocupar o cargo. É difícil encontrar outro Hugo Chávez.

iG: Chávez é acusado por muitos de ter acabado com a democracia na Venezuela.
BETH CARVALHO: Acabou com o quê? Com o quê? (indaga com voz alta)

iG: Com a democracia...
BETH CARVALHO: Chávez é um grande líder, é uma maravilha aquele homem. Ele acabou com a exploração dos Estados Unidos. Onde tem petróleo estão os Estados Unidos. Chávez acabou com o analfabetismo na Venezuela, que é o foco dos Estados Unidos porque surgiu um líder eleito pelo povo. Houve uma tentativa de golpe dos americanos apoiada por uma rede de TV.

iG: A emissora que fazia oposição ao governo e que foi tirada do ar por Chávez...
BETH CARVALHO: Não tirou do ar (fala em tom áspero). Não deu mais a concessão. É diferente. Aqui no Brasil o governo pode fazer a mesma coisa, televisão aberta é concessão pública. Por que vou dar concessão a quem deu um golpe sujo em mim? Tem todo direito de não dar.

Leia também: Beth Carvalho segue renovando e preservando o samba em novo disco

iG: A senhora defende que o governo brasileiro deveria cassar TV que faz oposição?
BETH CARVALHO: Acho que se estiver devendo, deve cassar sim. Tem que ser o bonzinho eternamente? Isso não é liberdade de expressão, é falta de respeito com o presidente da República. Quem cassava direitos era a ditadura militar, é de direito não dar concessão. Isso eu apoio.

iG: Por ser oriundo dos morros, o samba foi conivente com o poder paralelo dos traficantes?
BETH CARVALHO: Não, o samba teve prejuízo enorme. Hoje dificilmente se consegue senhoras para a ala das baianas nas escolas de samba. Elas estão nas igrejas evangélicas, proibidas de sambar. Não se vê mais garoto com tamborim na mão, vê com fuzil. O samba perdeu espaço para o funk.

iG: Quem é o culpado?
BETH CARVALHO: Isso tem tudo a ver com a CIA (Agência Central de Inteligência dos EUA), que quer acabar com o samba. É uma luta contra a cultura brasileira. Os Estados Unidos querem dominar o mundo através da cultura. Estas armas dos morros vêm de onde? Vem tudo de fora. Os Estados Unidos colocam armas aqui dentro para acabar com a cultura dos morros, nos fazendo achar que é paranoia da esquerda. Mas não é, não.

iG: O samba vai resistir a esta “guerra” que a senhora diz existir?
BETH CARVALHO: Samba é resistência. Meu disco é uma resistência, não deixa de ser uma passeata: “Nosso samba tá na rua”.
                                 fonte: site do IG.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Manifesto contra o brega.

MANIFESTO À POPULAÇÃO CONTRA O BREGA


Caros internautas, nós temos que reagir a esse modismo juvenil, literalmente vil e tão nefasto, a esta onda brega que assola a nossa terrinha querida, e porque não dizer, todo Brasil. Essa onda parece não passar, que levar as mulheres ao ridículo, afogando-as com esse ritmo perverso que é criado nos laboratórios das indústrias sem chaminés, galgado nos escritórios camuflados que produzem esses CDs ditos “bons” para o consumo, especialmente dentro das capitais, por homens famintos por granas fáceis, que contratam músicos aprendizes e “bailarinas” para semearem um som péssimo no solo tão fértil de cultura como o nosso Nordeste. Com todo apoio da mídia que colhe com elas uns frutos pobres de audiência forjada na despolitização das massas tão carentes de diversão, pão e muito mais, que absolvem esse lixo sonoro com facilidade e reproduzem nas ruas, vielas e becos por toda região, e quando tem carro, sai de baixo! Haja merdafonia estridente corroendo a paciência de todos, causando um mal terrível a população. As mulheres são a maiores vítimas dessa pocilga sonora, enlameando essas criaturas tão belas, tornando-as pressas fáceis à violência que campeia o nosso estado. Apresentador pedófilo é denunciado e cai fora do esquema televisivo prol brega, mas outros e outras permanecem se multiplicam dando preciosos pontinhos de audiência no Ibop às suas empresas. Ignore quem as consomem, denunciem quem as reproduz, Critique quem as divulga, faça valer o seu direito democrático de expressar sua indignação contra esse lixo sonoro! ASSINE ESSE MANIFESTO JÁ!

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

A Globo quer reviver os Tempos Idos dos Teleketes, agora mais violentos


Por Gilson Silva


A Rede Globo deu um Nocaute no bom censo e fechou um acordo milionário com a (UFC), que é O Ultimate Fighting Championship, uma organização americana de artes marciais mistas de origem brasileira. Lutadores desse esporte praticam diferentes artes marciais, tais como jiu-jítsu, boxe, luta livre olímpica, boxe tailandês e caratê, entre outras. O Ultimate Fighting Championship é comandada pela Zuffa Entertainment e presidida pelo americano Dana White. O pessoal dessa entidade está rindo atoa com o fechamento desse pacote macabro de lutas com a Globo, com exclusividade de exibir essa pancadaria, sendo três lá na terra da violência e o estante das lutas realizada aqui no Brasil. Não bastasse a violência que está no Brasil se alastrando, com massacre em escola, em cinema... Essas lutas promoverão mais e mais a violência gratuita no país, pela uma rede de TV campeã de audiência isso é lamentável, a RedeTV perdeu feio a concorrência com a toda poderosa Globo que em 12 de novembro deste ano, na Califórnia vai dar o ponta pé inicial dessa transmissão com uma luta entre um Brasileiro e um gringo, um campeão peso-pesado. O brasileiro, um tal de Junior “Cigano” dos Santos, vai precisar de muitos santos ao seu lado pra vencer a tal luta globaliza e maquiada pelos seus produtores. Esse “Cigano” não precisa ficar lendo as mãos das crianças pra ver os seus destinos, não será difícil acertar o seu futuro, ao ver tanta brutalidade juntas na TV. Os fãs dessas lutas não verem a hora pra ficarem diante da TV assistindo tudo, repousando os seus poucos neurônios, depois da labuta de muitas horas de exploração capitalistas, gastando os seus escassos e preciosos tempos. O ringue está pronto, esperando os brutos-montes, a Globo quer retomar a audiência que dava os telekets, é! Essas lutas que fez sucesso na década 70, lembram de Ted Boy Marinho? Olha o sobrenome do garoto! Ele terminou a sua carreira lá, nos trabalhões. Quem tem seus quarenta e poucos anos sabem, pois não tinha tantos canais de TV assim e nem internet é claro, para assistir outras coisas. Os teleketes de outrora eram encenados, eram de mentirinha, agora se chama: luta-livre, livre pra bater de “cano de ferro”, e como batem esses caras! Vamos esperar pra ver o que vai dar tudo isso, eu navegando estou, navegando estarei bem longe das maledicências dos seus fãs globais, e vocês onde estarão?


sábado, 22 de outubro de 2011

Maumar Khadafi



Assassinaram Muamar Khadafi

Por Gilson Silva

Obama, Sarkozy e Cameron (EUA, a França e a Grã Bretanha), esse tripé da maldade caminharam juntos pra liquidar o homem que em 1969 derrubou a monarquia líbia, monarquia esta criada pelos ingleses, falo deste governante: Muamar Khadafi que governou a Líbia 42 anos fortemente, mas que nos últimos anos abriu a aguarda ao imperialismo, privatizando empresas e com isso esses mesmos hipócritas frigiram os seus dentes, cozinhando em banho-maria as iras por dentro e ele, Khadafi apenas ria na sua excentricidade, na sua tenta verdejante e agora tombou no esgoto das super-potencias que o assassinou impiedosamente, não ouviram a sua clemência tentado vida, mas esses “cristãos” o mataram sem pena. A Cia riscou mais um da sua lista, quem será o próximo? Eles agora brindam com cálix de cristal, com vinho mais puro da nata mãe natureza a morte de um governante que modernizou agricultura da Líbia, que fez cair de 90% pra quase 0% o analfabetismo, que deu moradia digna ao seu povo o fez rica, literalmente na região, mas é verdade, não abriu para a participação popular, não dividiu o poder com o povo e isso causou insatisfação natural, mas não merecia uma morte traiçoeira dessa. Agora fica a dúvida, quem vai herdar a riqueza da Líbia, com certeza não vai ser o seu povo, esse tripé da maldade vai caminhar em passos largos para pegá-la, ah se vai!


quarta-feira, 12 de outubro de 2011


Contra a verdadeira corrupção e suas causas

Imprimir PDF
imagemCrédito: PCB
(Nota Política do PCB)
As recentes manifestações de rua “contra a corrupção”, que vêm ocorrendo, principalmente, nas grandes cidades, têm recebido ampla divulgação da grande mídia e apoios de personalidades diversas. Os atos públicos, muito bem estruturados, com palanques e equipamento de som, vassouras (colocadas como símbolo da campanha, como fazia o ex-presidente e prefeito de São Paulo, Jânio Quadros) distribuídas generosamente não deixam dúvida quanto ao caráter não-espontâneo da movimentação.
Os “líderes” se mostram bem afinados em suas intervenções, fazendo, sem exceção, o discurso anti-corrupção com viés claramente moralista, fazendo lembrar o perfil da antiga UDN. Para eles, as causas da corrupção que assola o país são as pessoas sem “moral” ou princípios éticos, e os alvos são claros: os “políticos” em geral e alguns membros do governo. Nas manifestações não é permitida a presença de partidos – principalmente, é claro, das agremiações de esquerda.
Em nenhum momento, nos atos do movimento e nas declarações de suas lideranças, se fala nos grandes empresários, os corruptores beneficiados por licitações e favorecimentos fraudulentos – e agora, por conta da Copa de 2014 e das Olimpíadas de 2016, por obras contratadas sem licitação. São estes que, através do financiamento privado das campanhas, compram os mandatos de políticos, alguns até de origem popular, para os exercerem a serviço dos interesses dos capitalistas.
Se uma ação de um dirigente público ou parlamentar desperta suspeitas, o Ministério Público é imediatamente acionado (o que é correto) e o fato ganha, imediatamente, grande destaque na imprensa. Se um deputado “comprado” para votar pela aprovação de um projeto de lei que beneficia privilegiadamente uma empresa privada é denunciado, passa-se, nos meios de comunicação, a visão de que apenas ele é corrupto, como se a empresa que o “comprou” não existisse - o crime do corruptor é ignóbil tanto quanto o do corrompido.
Não se fala das ligações perenes entre o Estado e os interesses das empresas privadas, existentes nesse governo e nos anteriores, pois o Estado, no sistema capitalista, tem como função básica atender as necessidades dos empresários e patrões, lesando diretamente a grande maioria da população, a classe trabalhadora. Mesmo na hipótese de eliminação de todas as formas de corrupção formal, portanto, o Estado seguiria privilegiando os interesses da burguesia. Mas esta hipótese não existe, porque o capitalismo é intrinsicamente corrupto.
O “combate à corrupção”, na forma manipulada com que é alardeado e conduzido por este movimento, atende claramente a demandas da direita, dos setores mais retrógrados da sociedade brasileira, que, nos idos de 1964, marcharam em favor do golpe empresarial-militar e que, hoje, se articulam para restringir, o mais que puderem, o pouco espaço democrático de que dispomos, no Brasil, conquistado à custa de muita luta nas décadas passadas. O objetivo principal é afastar os trabalhadores e os setores populares dos partidos políticos e da própria política, para que o exercício desta seja privativo dos homens e mulheres de “bens”. A mídia burguesa buscará sempre a defesa da suposta “neutralidade” do Estado, ao mesmo tempo em que justifica, muitas vezes de forma descarada, a opção preferencial dos governos pela defesa dos interesses dos empresários e atribui a corrupção a “desvios de conduta” de indivíduos ou de grupos “incrustados” no aparelho estatal.
É claro que a corrupção tem que ser combatida: O PCB condena qualquer tipo de corrupção no executivo, legislativo, judiciário e no setor privado. Se não temos ilusão de que seja possível eliminar a corrupção sob o sistema capitalista, entendemos que, para mitigá-la, devemos lutar para que haja pressão organizada dos trabalhadores sobre o Estado, visando conquistar a mais ampla liberdade de organização partidária, de informação e expressão, o fim da impunidade para os crimes cometidos pelos donos do capital e do poder, a democratização do acesso à Justiça e o controle social sobre a mídia.
Partido Comunista Brasileiro
Comissão Política Nacional
outubro de 2011

Imprimir PDF
imagemCrédito: 2.bp.blogspot
(Nota Política do PCB)
O partido “comunista” do Brasil passou dos limites, em sua tarefa de desmoralizar a palavra COMUNISTA e confundir as massas.
Iludem-se os que pensam que esse partido vai mudar de nome, só porque já não o merece. A palavra COMUNISTA, no nome deste partido, é funcional aos que dela se aproveitam para tentar legitimar os interesses do capital com uma máscara cada vez mais desbotada.
Como se não bastasse esse partido presidir os leilões do nosso petróleo; como se não bastasse elaborar um novo Código Florestal para servir aos interesses do agronegócio; como se não bastasse comandar eventos como a Copa do Mundo e as Olimpíadas na lógica de capturar mais ainda o esporte como mercadoria capitalista, afastar o povo dos estádios, expulsar as comunidades pobres dos locais onde passarão os turistas estrangeiros; como se não bastasse tudo isso e mais as coligações espúrias na lógica da fome de cargos e de dinheiro a qualquer custo, o chamado PcdoB acaba de renegar sua própria história e seus próprios heróis.
Na semana passada, o deputado “comunista” Aldo Rebelo, depois de ter perdido a eleição para o “progressista” cargo de Ministro do Tribunal de Contas da União (apoiado pela direita e os ruralistas), ultrapassou todos os limites da decência e da dignidade. Na Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional da Câmara, votou com o sinistro fascista Jair Bolsonaro contra o projeto da Deputada Luiza Erundina, que defendia a revisão da Lei da Anistia, de forma que fossem julgados os militares que torturaram e assassinaram militantes que lutaram contra a ditadura, inclusive dezenas de valorosos ex-membros de seu próprio partido.
Para não perder cargos no governo, o partido comunista de mentira quer esconder a verdade sobre a ditadura.
Temos, no PCB, muitas divergências com o PCdoB, fundado em 18 de fevereiro de 1962, inclusive em relação à Guerrilha do Araguaia, que consideramos um grande erro por tentar transpor mecanicamente para o Brasil uma forma de luta que foi adequada à realidade chinesa, uma receita de revolução do campo para a cidade, quando a classe operária urbana já tinha importante protagonismo em nosso país, acentuando a contradição entre o capital e o trabalho.  Mas os heróis do Araguaia merecem a homenagem do PCB. Eram verdadeiros COMUNISTAS.
Aldo não é um deputado avulso; vota no que determina seu partido. Votando no parecer de um deputado do DEM e não na emenda de Luiza Erundina, o partido de Aldo poderia até não se envergonhar por perdoar os assassinos de seus heróis, mas não tinha o direito de absolver os assassinos de todos os outros militantes torturados e desaparecidos na ditadura, como os do PCB e de outras organizações revolucionárias que, com  formas de luta diferentes, enfrentaram a ditadura burguesa-militar que assolou nosso país.
Reparem na triste foto que aqui exibimos, que fala mais do que estas palavras. Reparem como o esguio deputado “comunista” se apequena, se encolhe, se esconde, exatamente quando Luiza Erundina argumenta que a mudança da Lei de Anistia é um imperativo de sentença da Comissão Interamericana de Direitos Humanos que - julgando processo instaurado exatamente por familiares dos heróis do partido de Aldo - considerou o Estado Brasileiro responsável pelo desaparecimento dos militantes do Araguaia, movimento que o atual pcdob tratava até recentemente como o feito mais glorioso do PCdoB original e a própria razão de sua criação.
Repudiamos a ignomínia desse deputado e de seu partido que se diz comunista. Não descansaremos enquanto não descobrirmos a verdade e fizermos justiça em relação à tortura e o desaparecimento dos heróis do povo brasileiro, inclusive dos que foram enterrados pela segunda vez, agora por seu próprio partido.
PCB – Partido Comunista Brasileiro
Comissão Política Nacional – outubro de 2011

quinta-feira, 6 de outubro de 2011


VEM AÍ A VIRADA MULTICULTURAL do Recife! Com a presença de: Mala sem Alça, Palhaço sem Calça, Madre Calypso, Cabaré Vaudeville - As Levianas (PE), A Terra dos Meninos Pelados, O homem que amava rapazes - Cia ETC (PE), Aulão para concursos, Léo Gospel, Karaoke, Putz Sem Loção, Orquestra Rockfônica (PE) , DJ Baloo, Patuá Sonoro, Escravo e Astúcia no polo hip hop e para fechar, com um cara todo armado de brega, o tal Conde, lá no Arsenal. Não poderia ser em outro lugar. Tudo isso está na programação do evento. O ex-hippie, jornalista e DJ, o secretário de Cultura do Recife, Renato L. um dos pais do manguebit não ver a hora pra prestigiar esse evento. haja multifaceta desse secretário!


Por Gilson Silva - Poeta e compositor
gilson2121@gmail.com

terça-feira, 6 de setembro de 2011



Propaganda da Rádio Rosas da Boa Vista

A rádio Rosas da Boa Vista já está no ar, com um repertório fiel as nossas tradições culturais e valorizando os cantores e compositores da Região, principalmente de Pernambuco, dando vez esses bravos artistas pra que divulguem os seus trabalhos fonográficos, mas na rádio também toca coisas de fora, mesmo com um percentual pequeno de espaço, toca desde de jazz a blues, passando pelo rock nacional e internacional. Lá os ouvintes sempre têm novidade em termos de música de qualidade, mesclando poesias e músicas, literalmente falando. A música nordestina se destaca com a sua pujança de criatividade e pluralismo cultural. São músicas feitas por músicos talentosíssimos quem mesclam birimbau com cajon, cuíca com alfaia, rabeca com tamborim, frevo com maracatu, ciranda com coco, repente com hip hop, em fim a música brasileira feita pra quem gosta de música e não zoada apenas. Sem apoio, mas com muita paciência e criatividade os seus criadores se dedicam pra darem o melhor de si para os seus ouvintes, buscando aqui-ali, meios de divulgarem a rádio. Além de ter muitas músicas e poesia ela também se preocupa com a informação e com entrevistas e matérias jornalísticas amadoras, mas feitas com muito amor a cultura musical de Pernambuco. A Rádio Rosas da Boa Vista não está 24 horas no ar, como os seus idealizadores desejam vê-la um dia, mas em horário variados, as vezes fica fora de ar por questão administrativa e tecnológica. Não tem hora nem dia para entrar no ar, mas quando entra faz a diferencia. Muitos artistas da região estão enviando as suas músicas, feito fizeram: Zé Francisco Terranova, Sevy Nascimento, Jesuino, Marcelo Santana, Isaar, Seu Riba, Seu Kayto, Edson Cipó, Academia da Berlinda entre outros. Lá você poderá ouvir desde Bob Marley a Ave Sangria, de Xangai a Casa da Maquina e Raul Seixas, de Dona Selma a Chico Science... Agora é só sintoniza a freqüência certa e se ligar na música, música. http://www.blocorosasdaboavista.xpg.com.br/radio_rosas_FM.htm

sexta-feira, 26 de agosto de 2011


É pessoal, foi triste a ida do GRANDE ZÉ DO PASSO, nós da Rosas da Boa Vista fizemos uma singela homenagem a ele no nosso desfile, ele foi o tema do carnaval de 2011, com o tema: Zé, o poeta dos passos e colocamos um ator (Adriano Cabral) lhe representando perfeitamente na Aurora dos Carnavais, foi lindo! Criamos a Troça Carnavalesca Zé do Passo em folia, a mesma saiu na quarta-feira de cinzas alegrando os foliões e relembrando o amigo Zé do Passo. Em agosto agora, depois da missa de um ano, nós saímos às ruas do Recife em cortejo até a sua casa, cantarolado belos frevos, estamos batalhando pra fazer o seu museu, as coisas estão bem em caminhadas. José Bandeira, este eterno brincante estará sempre nos nossos corações. Ele nasceu na cidade de limoeiro, distante 77 km do Recife, cidade esta que se apaixonou aos 9 anos de idade, quando aqui chegou, fez daqui a sua casa e fez história como um passista que soube como ninguém brincar o carnaval. Aprendeu cedo a dançar este ritmo único no mundo (o FREVO), fez uma legião de amigos nesta cidade que o abraçou e o fez o nosso eterno Zé do Passo. A dança ele herdou do pai, que era um exímio dançarino de dança de salão. Como um morador da Boa Vista estava sempre antenado com os movimentos culturais do bairro, um freqüentador do Mercado da Boa Vista e sempre estava nas atividades culturais do nosso bloco, seja no bloco propriamente dito e na nossa Serenata das Rosas, sempre atuando com gramou e prazer. No dia do seu sepultamento, triste fiz o primeiro poema sobre ele que está publicado no nosso site, agora fiz o segundo com o titulo: Ao amigo Zé do Passo. Sempre, sempre e sempre estaremos lembrando o nosso grande amigo, desta pequena e gigante figura humana.

Ao amigo Zé do Passo
Gilson Silva

Não vejo mais o seu rosto
Enfeitando a luarada,
No pezinho de estrada
Com os olhinhos dispostos
A desfilar com gosto
De janeiro a janeiro
Com aquele riso maneiro
Que contagiava a gente,
Com aquele passo plangente
Feito na medida certa
Como uma boa oferta
Dos deuses do encantamento
Com aquele seu talento
Que servia como alerta.

Procuro nas ruas estreitas
Aonde a vista se espreita
Procurando o seu jeito
Com um aperto no peito
De saudade malfeita
Assim tão suspeita
Entronxando o rosto
De um punhado de agosto
Temperando o desgosto
Que a maldade deleita
Causando em nós desfeita.
Assim por debaixo dos panos
No oitavo mês do ano
Eita maldade má feita!

Morreu um homem brincante,
Morreu brincando com a vida,
Morreu na triste partida
Na ida pra mais uma chegada
A onde debruça a jornada
De um herói assim não vencido.
Numa rua assim esquecido
Plainou um corpo na estrada
Foi jogo surjo, não digo
De um homem que joga limpo.
Foi logo por ele colhido
Levado ligeiro pro Olimpo
Pra ficar como bons amigos.
Morrer, eu sei que não vai
Viver, eu sei que duvido,
Terá mais carnavais
Que nós das lembranças com sigo.

Obs. Poesia feita para o saudoso Zé do Passo, no mês do seu falecimento (19/08/2010).
Ouça a nossa Rádio web, já está no ar. www.blocorosasdaboavista.xpg.com.br